quarta-feira, 16 de junho de 2010

16ªaula- G.E.de Estudos e Trabalhos Mediúnicos

continuação:
Capítulo 14
Perigos e Inconvenientes,
Perda e Suspensão da Faculdade Mediúnica

A característica de quem abusa do exercício mediúnico são:
• acreditar-se privilegiado por possuir a faculdade;
• não atender às solicitações de estudo da Doutrina;
• achar que o guia espiritual ensina tudo;
• não ter horário para trabalhar mediunicamente entregando-se à prática a qualquer hora, ocasião e local;
• fazer trabalhos mediúnicos habitualmente em casa domiciliar;
• cobrar monetária ou moralmente pelos bens que eventualmente possa obter pela faculdade mediúnica.

O médium que emprega mal a sua faculdade está se candidatando:
• a ser veículo de comunicações falsas;
• a ser vítima dos maus Espíritos;
• à obsessão;
• a se constituir em veículo de idéias fantasiosas nascidas de seu próprio Espírito orgulhoso e pretensioso;
• à perda ou suspensão da faculdade mediúnica.


A faculdade mediúnica pode ser retirada em determinadas circunstâncias da vida?
Eis a resposta de Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier:
"Os atributos medianímicos são como os talentos do Evangelho. Se o patrimônio divino é desviado de seus fins, o mal servo torna-se indigno da confiança do Senhor da seara da verdade e do amor. Multiplicados no bem, os talentos mediúnicos crescerão para Jesus, sob as bênçãos divinas; todavia se sofrem o insulto do egoísmo, do orgulho, da vaidade, da exploração inferior, podem deixar o intermediário do invisível entre as sombras pesadas do estacionamento, nas mais dolorosas perspectivas de expiação, em vista do acréscimo de seus débitos irrefletidos." [O Consolador - qst 389]
Existem casos em que a interrupção demonstra uma prova de benevolência do Espírito protetor para com o médium, segundo nos esclarece Allan Kardec [LM - it 220].

Os bons Espíritos se afastam dos médiuns por vários motivos. Analisemos alguns:

a) Advertência: quando o médium se serve da faculdade mediúnica para atender a coisas frívolas ou com propósitos ambiciosos e desvirtuados.
Como coisas frívolas, citamos a prática dos "ledores da sorte".

b) Benevolência: quando as forças do médium estão esgotadas e seu poder de defesa fica reduzido, para que não caia como presa fácil nas mãos de obsessores, sua faculdade é suspensa, temporariamente, até que volte ao seu estado normal e possa exercitar com eficiência.

c) Provação: quando o médium, apesar de se conduzir com acerto, ter o merecimento por boa conduta moral e não necessitar de descanso tem suas possibilidades mediúnicas diminuídas ou interrompidas, Allan Kardec nos diz que:
"Servem para lhes por a paciência à prova e para lhes experimentar a perseverança".

Bibliografia
1) Livro dos Médiuns - Allan Kardec
2) Livro dos Espíritos - Allan Kardec
3) No Invisível - Léon Denis
4) Médiuns e Mediunidades - Vianna de Carvalho / Chico Xavier
5) O Consolador - Emmanuel / Chico Xavier

Um comentário: